17 abril 2006

Neurônios mortos não lêem Foucault

Já trabalhei de forma estressada. Fechar um telejornal diário, geralmente com mil problemas técnicos, com um tempo exíguo e milhões de disputas de poder dentro de uma redação, tornam até o mais plácido panqueca numa panela de pipoca. Hoje, mais velho e tranqüilo, estou feliz com a redução de 2,8% no meu nível de estresse.

Estava. Acabo de descobrir que minha população já meio avariada de células pensantes deve estar quase dizimada: pessoas estressadas simplesmente “torram” os neurônios com a alta carga de hormônios disparada pela adrenalina. Este é o resultado “meio” conclusivo a que chegou o professor de neurociências da Universidade Stanford (EUA), Robert M. Sapolsky, depois de pesquisar a vida dos babuínos, nossos irmãozinhos primatas. Isso aconteceria porque, diferentemente da maioria dos outros animais, o homem é inteligente, antecipa situações, vive a tensão dos problemas antes que eles aconteçam.

A alternativa? Pensar de forma mais superficial, viver de forma mais superficial, esperar os problemas caírem no colo pra agir. Agora, todo o preconceito com o modo de pensar de uma mente “loira” deve ser revisto e, acima de tudo, estimulado.

Decididamente, vou deixar de lado a pilha de autores e teorias que tenho de ler, entender e relacionar pra fechar minha tese. E se a banca me cobrar porque não usei tal livro, espero que eles lembrem que mais vale um doutor de neurônios íntegros e burros, do que inteligentes e mortos.

A outra opção seria descolorir o cabelo. Mas corro o risco da banca ser mais rigorosa ainda na argüição.

5 comentários:

marcia disse...

como assim, "os babuínos, NOSSOS irmãozinhos"?????

Grazi disse...

Pobre dos meus neurônios,
já devo ter torrado a metade deles...

Sean Hagen disse...

*


marcia,
meus eles são.
agora, se tem pinta na jogada eu não sei.


grazi,
mas vc "estressadinha'?
acho que perdi parte desse filme.
- que bom te ver por aqui! -


*

Grazi disse...

tem coisas que só conhecemos com a convivência diária ;)
estou sempre por aqui!

Cássia disse...

Dã pra esse cientista. A Bíblia já não diz: "Felizes os pobres de espírito porque deles é o Reino dos Céus?"

Ainda começo a ler só Sabrina...