24 abril 2006

.....Pelados pensantes pedem passagem.....

Sex Week at Yale: 25 mil exemplares gratuitos para os alunos de Yale

Os gringos descolados estão tomando de assalto as vetustas e pudicas universidades norte-americanas. A invasão das revistas pornô-chiques, editadas e protagonizadas por estudantes de Boston, Harvard ou Yale, trazem pra dentro da academia uma tendência que já domina outros setores da sociedade.

Até agora, a pornografia vinha de fora da universidade e servia de objeto de estudo para pesquisas de comunicação, antropologia ou psicologia. Com esse movimento, inverte-se o jogo e a academia deixa de ser analista para ser produtora.

Boink, da Universidade de Boston: 20 mil exemplares a US7,95 cada

Algumas universidades fazem censura prévia nas publicações; outras, assistem apenas de longe, preocupadas em resguardar a carreira e a reputação dos alunos – o nu frontal até pode ser mostrado, mas nunca ereção ou penetração. A verdadeira discussão que se instaura é o pré-conceito de que o universo pornô está ligado às drogas, bandidagem e contravenção, uma imagem a que o meio acadêmico não quer se associar.

Os estudantes, obviamente, estão adorando. E não faltam modelos dispostos a participar, mesmo sem ganhar um tostão furado. Num país em que o desejo de fama é servido com cereais no café da manhã, qualquer oportunidade de ser popular é bem-vinda.

A HBomb, de Harvard, está na lanterna, com 2,5 mil revistas a U$5,00

Algo que os brazucas conhecem bem: parecer, mais do que ser, é uma prática que recheia nossas praias, shoppings e a mídia. E por isso não é de duvidar que a idéia seja copiada logo, logo. Depois dos bombeiros pelados e das velhinhas peladas, está na hora dos universitários pelados.

Claro que cada abertura de pernas, cada pose sensual, cada olhar libidinoso será embasado num estudo teórico multidisciplinar acompanhado pelos mais proeminentes doutores da área. Afinal, sexo na cabeça – vulgar – é diferente de sexo-cabeça – erudito. E deixem de ser maldosos por achar que gente pelada sempre acaba em sacanagem. Todo mundo sabe que a academia não é um lugar de ação, mas de reflexão.

4 comentários:

marcia disse...

já que eu não poderia estudar nenhuma delas, por absoluta falta de concentração, será que eu posso editar a Boink? aquela capa é tudo.

piu piu piiiiiuuuuu.

Sean Hagen disse...

*

pra que se dar ao trabalho:
compre a revista e fique com a capa.
:p

*

marcia disse...

editar, no caso, era uma metáfora.

Sean Hagen disse...

*

jura?

*