01 junho 2006

Vida mediada

Não sei dizer em que momento o computador assumiu o controle das tarefas cotidianas.
Mas ao eleger a palavra como expressão de trabalho, esse foi um processo natural.
Como jornalista ou pesquisador, é nesse universo que estão as possibilidades de expressão.
Escrevo nele, guardo documentos nele, encontro o que procuro através dele.

Algumas relações também são mediadas via computador.
O e-mail substituiu o telefone há muito pra mim.
O orkut, além de me divertir, proporciona que eu reveja velhos amigos e faça novas amizades. Encontrar pessoas tão diferentes que eu nunca teria a chance de conhecer pelos métodos “tradicionais” é muito legal.
O blog é um canal aberto às discussões, um espaço pra falar e ouvir.
Sem contar que bato-papo com gente de São Paulo, Paraná, Pernambuco, Belo Horizonte, Espanha ou Inglaterra com a mesma facilidade.

Tudo parece muito bonito enquanto o computador não começa a falhar: travar, perder documentos, ficar lerdo, dar erro.
Até que morre de vez.
Pânico é pouco pra descrever a sensação de perder todo o trabalho contido nele.
Sem falar da possibilidade de não encontrar os amigos.
Talvez eu esteja viciado.
Talvez.

Mas prefiro acreditar que é uma mediação necessária, que torna a vida mais fácil e garante mais interesse ao meu dia-a-dia.
Algo da qual não quero abrir mão.
E que - espero - a nova máquina ajude a aprimorar.

Notem minha cara de emburrado com o computador.
Como vocês podem ver, meu descontentamento é antigo.

7 comentários:

Graziana disse...

A internet proporciona um novo espaço para discussão, que alguns já denominam como espaço público virtual.

Concordo que é uma mediação necessária, que torna a vida muito mais fácil, com certeza.

Já fiquei sem computador... é incrível como ele fez falta!
Já não sei mais como viver sem computador e internet.

Ana disse...

Yessss!
Que bom que já estás conectado!
Concordo: computador não é vício, não! Mas que dá crise de abstinência, quando ficamos sem ele, dá!

cida disse...

Ainda bem que o susto foi provisório.Tento imaginar o desespero que é o medo de perder escritos e trabalhos que nâo poderão ser refeitos. Esse teu computador tem de ser trocado, urgentemente....rsrs.
Legal teres voltado.

marcia disse...

temperamental como o dono. :P

> [ eRRuD!tO ] ... disse...

virtualmente venho te desejar um bom congresso e boa apresentação do teu trabalho lá em sp!
abraços

Cássia disse...

Guri, esta tua cara emburrada é de antes da internet
:-p

Mariana disse...

Ótimo post. Adorei a foto da pitaya, também. Espero que Bauru esteja ótima. Beijo de uma visitante from Pernambuco!