30 julho 2006

Detetizador de criancinhas

Cinqüenta pessoas massacradas no Líbano só nesse começo de domingo.
Dessas, 20 são crianças.
Morrem como baratas.

"Todos os habitantes da região foram avisados e convidados a partir", disse o sábio primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert. Mas mesmo com todos os gentis convites, ninguém fugiu das próprias casas e vidas. E pagaram o preço por essa insolência.


Israel, o grande estado da paz e sabedoria, deveria detetizar todo o mundo árabe. Ia ser mais barato e não causaria o contrangimento de ter criancinhas com os corpos mutilados aparendo nos jornais.

Afinal, no mundo civilizado não é de bom tom ver isso na hora das refeições.

3 comentários:

Thelma disse...

Sean, aqui na Espanha as cenas televisivas nao sofrem cortes. É terrível!!! A gente vê os pedaços de crianças, os pedaços de vida, no meio dos destroços. Tiram pernas, braços, cabeças, corpos partidos pela metade...
É impossível evitar a repulsa, como tu bem dizes! Israel pretende realizar o sonho de Herodes, matando as crianças - alvo claro e inequívoco do poderoso exército israelense. Israel quer exterminar os possíveis inimigos futuros. Uma trampa vergonhosa contra seres indefesos! Dá asco!! Dá vergonha!!!!

marcia disse...

Israel lamentou o INCIDENTE, mas que tinha CONVIDADO (como vc bem frisou) as pessoas a se retirarem e, portanto, nada podia fazer.

o Hizbollah emitiu uma nota dizendo que "o mundo mudo e cúmplice" vai pagar por isso. o que me deixou completamente arrepiada sobre o tipo de retaliação que pode vir também sobre inocentes.

onde vamos parar?
simples: não vai parar.

Ana disse...

Eu acreditava que com a exposição de imagens, com a população mundial acompanhando todos estes acontecimentos, estas atrocidades tivessem fim.

Sei lá... É como se este tipo de coisa só pidesse ser feita escondida!

Que nada! Assistimos tudo, ao vivo e a cores, com o estômago embrulhado e uma profunda sensação de vergonha e impotência.