23 julho 2006

A lei

Vendo o caso Varig, com o transtorno de milhares de passageiros que tiveram perdas pelos atrasos e cancelamentos, os funcionários demitidos e os credores sem saber se vão receber, agora o preço da passagem área dispara. A explicação é sempre a mesma: gente demais querendo viajar e lotação de 80% na capacidade dos aviões geram inflação – se por milagre tiver algum economista que entre nesse blog e possa racionalmente explicar isso, por favor, apresente-se.

O duro é saber que a nossa economia vai continuar premiando as negociatas, a falta de comprometimento com os clientes e a falta de respeito às cláusulas que regulam os contratos.

Comprei um computador top de linha no início de junho. Paguei à vista, em dinheiro, uma continha bem salgada. Depois, passei um mês tentando garantir que o prometido fosse cumprido. Um desgaste estúpido e insano pra ter o que já era meu. Esses dias, passei em frente à loja – que fica dentro do shopping Iguatemi – e descubro que o estabelecimento fechou, quebrou, não existe mais, kaput. Lá vou eu começar a romaria pra descobrir quem vai honrar a garantia de um ano.

Outro caso: minha mãe está internada há quatro dias no Moinhos de Vento, o principal hospital particular de Porto Alegre. Já esteve lá um sem número de vezes e sempre foi atendida com excelência. Agora, assisto assustado a um ex-grande hospital pedir que os pacientes levem os remédios de casa sob a alegação de não poder pagar por isso - remédios estão incluídos na diária do plano de saúde. Mas não fica por aí: falta sabonete. Sim, sabonete. E o papel é daqueles que a gente carinhosamente chama de “lixa”. A comida? Buenas, prefiro não entrar nessa parte. Mas a conta no bolso continua alta. E com certeza, pra tentar suprir esses percalços, deve sofrer um novo aumento.

É a tal lei da oferta e da procura.
É a lei.

10 comentários:

Mariana disse...

Horrível ser consumidor neste país...


Ó, eu queria fofocar com vc, se vc tiver skype. O meu nick é marimesq! Beijão.

Mariana disse...

Espero que tua mamãe já esteja bem. Beijo pra ti.

Graziana disse...

é a lei que beneficia um lado só...
espero que sua mãe esteja melhor!

Um taquin de pan disse...

Tomara que tudo de certo pra tua mae...
E eu que vim de varig e vou voltar de varig pra Londres... como e so no fim de agosto ainda ha esperança de que tudo se resolva ate entao...

Rosa147 disse...

Bah! Sean, tu também está envolvido com doença e eu pedindo socorro.
Vamos fazer assim: tu cruza os dedos pelo Taba e eu peço para o meu santo ajudar a tua mãe. Tenho certeza que nós dois seremos atendidos. Vai sair tudo pelo melhor.
Manda notícias.
Bj.

Ana disse...

Que a tua mãe volte logo pra casa!

...O resto é desanimador! Imagina quem depende do INSS!

marcia disse...

moinhos de vento, beibi. :)

Sean Hagen disse...

*

que jornalistinha de bosta, Piu.
comparamos tanto o péssimo atendimento do Moinhos com o Mãe de Deus, que acabei trocando as bolas.
thanks, já foi arrumado.


*

Thelma disse...

É complicado, sim! A sensaçao de impotência e de desânimo toma conta da gente.
Desejo que tua mae fique bem!
Te cuida tb, pois o desgaste é grande.
Vem passear aqui, para arejar a cabeça. Beijinhos.

cida disse...

Desejo melhoras pra tua mãe e tranquilidade pra ti. Nós ficamos impotentes diante desse bando de mercenários - plano de saúde, hospital, médicos. Tão difícil encontrar um médico que não seja. Não sei onde fica o juramento desse povo.
Um abraço