31 julho 2006

Yin

Porto Alegre em desfoco. Foto Sean Hagen


Trinta e um de julho, duas e meia da manhã, 4° em Porto Alegre.
O clima úmido intensifica ainda mais a sensação de frio.
Lá fora, a noite está escura e compacta.
As estrelas, tímidas, não conseguem esquentar o céu.
E a lua, como que assustada com essa repentina frieza, reluta em abandonar a fase minguante em direção ao circulo imperfeito da nova.
Aqui dentro, banhado pela luz do computador, a sensação é de acolhimento.
Por alguma razão, o frio me faz sentir vivo e conectado comigo mesmo.
Tenho gelo nas veias.
E uma boa dose de escuridão na mente.

7 comentários:

Que chita bacana! disse...

noites acordada = to dentro
acolhimento = to dentro
gelo nas veias = to fora

Graziana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Graziana disse...

o frio deixa Porto Alegre mais bonita!
adoro estes dias frios, acompanhados de sol ;)

Ana disse...

Em dias de muito frio ou de muita chuva ou vento a sensação de acolhimento da casa da gente é tudo!

Tenho pensado tanto nisso... Acho que é o inverno, mesmo, que faz constatar que sou um animal doméstico, que sente uma profunda felicidade em estar em lugar quente e seguro...

Mariana disse...

Gosto de frio, não!

Só se tiver tempo pra preguiçar e um cobertor de orelha muito bom...

;.)


Beijo

marcia disse...

yang yang

Thelma disse...

Bá....que inveja!!!!! Eu adoro isso aí que tu descreveste!!! Aproveita bastante este contato interior que o frio proporciona.

Coloquei um comentário para ti no blog da Marcia. Bjs.