03 agosto 2006

Abraçado com o desastre, rezando pelo futuro

Criticar – com embasamento – sempre é mais fácil do que fazer, não tenho dúvida. Mas assim como não posso aceitar que Israel, depois de sofrer todos os horrores nas mãos dos nazistas faça o mesmo com os árabes, não acredito que o presidente Lula se arvore o direito de pedir uma constituinte, como foi anunciado ontem.

Explico: a necessidade de uma revisão é urgente e oportuna. Nossa constituição ainda tem buracos negros gigantescos, discriminações, facilidades para a mesma elite de sempre. Lamentavelmente, ainda não é definitiva, precisa ser melhorada.

Mas onde está a articulação política desse governo? Tarso Genro, depois de mostrar caráter pra lá de duvidoso na campanha estadual de 2002 e na reforma ministerial de 2005, mostra-se um desastroso coordenador político. Não foi ao Congresso costurar essa proposta. Não foi à sociedade. Não procurou ninguém. Basta-se a si mesmo.

A oposição e juristas cairam de pau acusando o governo de ditatorial – e com justa razão. Para um partido que ajudou a derrubar a ditadura e tem com bandeira o coletivo no poder decisório, essa é uma proposta, no mínimo, esdrúxula.

Tarso Genro tem se mostrado um político perigoso. E Lula, um governante que não tem mais como desculpar os erros que vem cometendo, seja dele ou de assessores – o que dá no mesmo.

Não tenho dúvida de que existem avanços em muitas áreas nesses quatro anos, algo que FHC e toda a sua pataquada neoliberal psdbística não quis/conseguiu fazer em oito. Mas cada dia fica mais difícil votar no PT. A articulação política é um desastre, e uma vergonha inominável a titubeante vontade de cortar a banda podre pela raiz. Mesmo assim, não vejo saída nos outros partidos e suas mirabolantes propostas: vou morrer abraçado ao desastre, rezando por melhores articulações.

11 comentários:

marcia disse...

uma vez Politburo, sempre Politburo.

Graziana disse...

infelizmente é isso ...
cada vez mais dificil votar no PT, mas muito mais difícil votar em qualquer outro...

Cássia disse...

Com o Lula ganhando e mais quatro anos de governo FHC pela frente, votar no PT será realmente impossível. É a aposta do PSDB, ao lançar o picolé de chuchu...

Que chita bacana! disse...

Oxe, homen, quanta raiva no coracao e essa?! Vai visitar a Velhinha de Taubate, nunca se sabe, talvez depois de tudo e de tanto ela ainda acredita no Brasil, talvez so ela vai 'te separar das trevas'.
Besteiras a parte, a verdade e' que 'boiei' no texto, de politica no Brasil to bem por fora. Cristovam Buarque? Politburo? no idea. shame on me.
Quanto ao neo-liberalismo de FHC, esse assunto 'da muito pano pra manga'. A gente ia ter que matar uma galinha gorda que o assunto e' longo e ia terminar em morte, nao so da galinha, quero dizer.

;)

Sean Hagen disse...

*

Marcia
chama o fidél, o fidél!

Grazi
vamos nessa juntos. mas a briga vai ser feia.

Cássia
é o ciclo da 'contracultura': quando passa a ser dominante, deixa de ser contra.


Fabiana
não é raiva, não.
é o sentimento de estar encurralado.
sei que vou morrer pela boca, mas não tenho outra opção.
e me recuso a votar branco ou nulo.


*

Cássia disse...

Caríssimo, me passa o teu e-mail, porque eu não vou botar o telefone do homem na web :-)

Thelma disse...

Bah, bunitinhu, surgiu a grande oportunidade de me abraçar contigo - mas só por coincidências políticas.

Sean Hagen disse...

*

e por que essa gelada agora, thelminha?
lá no blog da marcia vc foi bem mais carinhosa.


*

Ana disse...

Tô tão desencantada, também!
E não voto no Lula nem sob tortura!

Anônimo disse...

Keep up the good work » »

Anônimo disse...

Excellent, love it! »