11 setembro 2006

Momento do ódio

Se há um conselho que esse velho senhor de barbas brancas pode dar, é: não adoeçam.
Não porque adoecer seja ruim e incômodo – óbvio, né? –, mas enfrentar a burocracia e a estupidez dos trâmites hospitalares, aliada ao descaso dos atendentes, é de fazer qualquer são adoecer na hora.
E não estou falando do SUS, em que as dificuldades são verdadeiras e legítimas. Eu falo de hospitais top, que trabalham com planos de saúde top.
Em suma: em Porto Alegre, fuja do Mãe de Deus como o diabo da cruz.
E reze pra Unimed acreditar que a massa encefálica que escorre discretamente da sua cabeça é grave, e não apenas um problema pro salão de beleza.

17 comentários:

Ana disse...

O que acontece com as pessoas, quando passam para o lado de lá do balcão?
Se enchem de procedimentos, carimbos, regras, normas e esquecem que são gente?
Não importa a instituição, sempre tem gente esquisita nos balcões de atendimento... Acho que passam por uma lavagem cerebral, treinamento, qualquer coisa que faz com que esqueçam de tratar as pessoas com educação, atenção e respeito! (Não seria mais que sua obrigação!)
Também fico com ódio! Mortal!

Rosamaria disse...

E eu não sei? Quando o Taba tava operado, com muita dor, e pedi um remédio, levaram 4 horas pra trazer, pq não estava prescrito, pq não tinha sido autorizado, pq tinham que buscar na farmácia, depois não sei pq mais. Se é caso de vida ou morte, a criatura morre. Isso é em todos os lugares, não é privilégio do SUS.

Leandertal disse...

Nossa, o que aconteceu com a tua massa encefálica? Escorreu discretamente?
Não falo mal de funcionário de empresa privada porque sei que em todas é assim: ganha-se mal, trabalha-se muito e cobra-se absurdamente. O resto é choradeira de empresário, para fingir que o país só atrapalha enquanto ele enche os bolsos de dinheiro.

Graziana disse...

sei bem como funciona...tive que fazer um plano de saúde, na hora do contrato tudo é muito maravilhoso, na hora da prestação de serviço o caos...

espero que o problema se resolva o mais rápido possível :)

Mariana disse...

Tadinho. Vc já tá bem? Um cheiro.

Um taquin de pan disse...

eita tas sem cerebro e?

Sean disse...

*


gentes amigas,

meu cérebro já escorreu faz tempo.
e já coloquei um pacote de pipoca doce no lugar.
o hospital não foi pra mim, mas tá me consumindo todo meu tempo.
assim que der, volto a fazer as visitas diárias aos meu blogueiros preferidos ;)

ANA
amo que odeiem junto comigo!

ROSA
lembrei de vc quando tava escrevendo isso.

LEANDRO
que honra ter sua fidalga pessoa por aqui! quando vai reabilitar o humor ácido do leandertal?

GRAZI
sem hiprocisias: a dor do bolso afeta tanto quanto a da alma, né?

MARIANA
o meu caso não tem cura. mas juro que troco as pipocas toda vez que mofam.

MONICA
um descerebrado e uma cabra sem PALAVRA. esse mundo tá perdido.



*

marcia disse...

vc não entende: os caras estavam higienizando o quarto. era pro teu bem.

Thelma disse...

Xonzinho, a burocracia acaba com a gente! Dá nos nervos, realmente! Os trâmites hospitalares e o atendimento que recebemos sao caso de polícia!!! É uma violência!!! Um hospital, que deveria curar as pessoas, pode levar a criatura a adoecer e a ficar insano. Paradoxal, né? Beijinho.

Um taquin de pan disse...

larari larara larari larara!!!

Leandertal disse...

Amigo.
Enquanto não defino a nova linha editorial do sítio, baixo o p.H. do meu humor em endereços alheios. Mas sempre com todo o respeito.

Mariana disse...

Ô bichinho! Pelo menos as pipocas são doces, né? Hehehehe.

deysi disse...

hahahahahaha comecei a ler teu blog hoje e adorei! Desculpe a gargalhada num caso desses..rs

Que chita bacana! disse...

vixe, xonzinho, saudade de tu homen-cricri!

Sean Hagen disse...

*


MARCIA
já te disse que tenho dificuldade de compreensão. explica de novo.

THELMA
é isso aí: polícia neles!
- que bom que vc voltou, tava sumida -

MÔNICA
um homem inoformado é um outro homem

LEANDRO
putz, sem respeito sempre foi mais hilário

MARIANA
doces e melequentas

DEYSI
seja bem-vinda! espero te ver muito por aqui. e a gargalhada é pertinente, pelo menos pra mim.

FABIANA
homem grilo?


*

Maitê disse...

Oi Sean, eu sempre leio seu blog, ma snunca comentei. Pois é, isso me preocupou, pois minha irmã vai fazer uma cesárea no Mãe de Deus. Até evitei de coomentar com ela, para ela não se preocupar. Mas que isso é muito complicado, é. Pois o mínimo que se exige de um plano de saúde e de um hospital é um atendimento decente. Abs

Que chita bacana! disse...

na minha terra cri-cri e' gente que nao deixa nada desapercebido, assim no 'bem' sentido.

;)