10 dezembro 2006

Sem medo do esgoto

O cara rouba uma moto, dirige na contramão e pula dentro de um rio-esgoto pra salvar uma criança de três anos que está sendo afogada pela mãe. Tudo isso na caótica São Paulo, indo trabalhar e no dia do aniversário.

Vai ter senso estratégico, agilidade e coragem assim no inferno. Agiu como nos filmes de ação em que o personagem se esconde em uma vida pacata pra encobrir que é um agente secreto ultra qualificado.

Adriano Levandoski de Miranda não quer ser chamado de herói. Mas mostrou que é bom, muito bom. Talvez a alcunha de James Bond fosse mais apropriada.

- a notícia, da Folha de São Paulo, está nos comentários -

15 comentários:

Luís Galego disse...

Talvez a alcunha de James Bond fosse mais apropriada.


Talvez necessitemos de mais James Bond (e de James Bond Girls)porque a situação está ficando dificil....não só no Brasil, também aqui neste canto à beira mal plantado as coisas estremecem.

P.S - Não vem a propõsito, mas como foi referido S. Paulo, deixa-me lamentar a pena que eu tenho de não ter estado na Bienal de S. Paulo. Uma colega minha do Ministério deixou-me com a água na boca....enfim, ainda bem que a Internet existe, sempre dá para ter uma ideia.

Graziana disse...

inusitada a notícia...

fiquei pensando na situação de desespero desta mãe em se jogar num rio com o filho...

corajoso e heroico o ato dele
é dificil encontrar pessoas tão solidárias em notícias dos jornais hoje em dia...

Maitê disse...

Esse cara é que nem o Bruce Willis, em Corpo Fechado.
Descobriu que é Super-Herói. Acho que nem ele deve acreditar no que fez. A maior coragem foi pular naquele esgotão. Abs

Maroto disse...

desculpem a preocupação broxante, mas e agora, como fica a criança?

Mary disse...

O q estaria vivendo essa mulher naquele momento de uma atitude tao desesperadora??
Fico pensando se ele agiu por impulso ou deu tempo de pensar?!!!
Muito louco isso tudo!rs

ederson disse...

mas como é que alguém deixa a moto parada com o motor ligado? não entendi...

Vini disse...

pra quem nao acredita na bondade humana é um tapa na cara... ta doendo... ta vermelho aqui ainda...

Felipe disse...

Pena que não deu pra ver a notícia (não tenho UOL). Fui na dedução. Gosto dessa idéia de que heróis podem aparecer a qualquer momento para dar uma força. Aparecer até dentro da gente, mesmo, como uma outra face que a gente tem, na hora H, pra fazer o que precisar ser feito.
:)

marcia disse...

instinto: todos deveríamos exercitá-lo.

Sean Hagen disse...

*


FELIPE
desculpe, não me dei conta que era fechado. aí vai o texto para quem ficou curioso.


Homem se joga no rio para salvar criança de três anos
Analista de sistemas chegou a furtar uma moto para se aproximar da margem e retirar mãe e menino que eram arrastados pelas águas do rio Pinheiros
Aniversariante ia para o trabalho quando foi avisado sobre a moça que tinha acabado de pular no rio de uma altura de seis metros


ROGÉRIO PAGNAN
DA REPORTAGEM LOCAL

O analista de sistemas Adriano Levandoski de Miranda, 27, acordou desanimado para trabalhar ontem porque seu plantão coincidiu justamente com o dia do seu aniversário. Ele não conseguiu, porém, chegar ao trabalho porque no caminho teve que furtar uma moto e salvar uma criança atirada ao rio.
O aniversário de Miranda começou a se tornar inesquecível por volta das 9h30, quando ele caminhava em direção ao trablho pela ponte da av. João Dias, em Santo Amaro, zona sul de São Paulo.
Duas pessoas agitadas mostravam a mãe que acabara de se jogar no rio Pinheiros agarrada ao filho de três anos, de uma altura de seis metros. Na região, o rio chega a dois metros de profundidade em determinados pontos, segundo a polícia.
Desesperado, Miranda pediu emprestada a moto de um dos curiosos que observava a cena. "Ele não quis emprestar. Quando ele virou as costas, eu peguei a moto dele e saí", explicou o analista. A moto parada ainda com o motor ligado.
O veículo foi utilizado para chegar à margem, perto de onde a mãe e a criança eram arrastadas. Mirando dirigiu pela contramão, desviando dos outros veículos, pois era o caminho mais curto. A mãe, de 26 anos, havia amarrado o cadarço do tênis do filho para levá-lo consigo ao fundo das águas. "Ela queria que a criança fosse com ela, que a acompanhasse para o mundo melhor", disse o delegado Avelino Jorge Alves da Costa Júnior, 42, sobre a explicação dada pela mulher durante depoimento no hospital.
Miranda disse que quando pulou na água poluída só lembrava do filho de dois anos. Ele saltou um obstáculo e entrou pela cintura "Acho que foi o instinto paterno. Pensei que alguém faria o mesmo se fosse o meu filho", disse ele, que refutou durante toda a entrevista o título de herói. "Qualquer um teria feito o que eu fiz", repetia ele.
Miranda disse que pegou a criança e não viu como a mãe conseguiu deixar o rio. Ele acredita que ela foi ajudada por dois homens que não conseguiu reconhecer. A polícia também informou não ter uma versão exata do fato.
O delegado afirmou que Miranda não responderá pelo furto da moto porque agiu por "estado de necessidade" e porque a vida do garoto era um bem maior do que a posse da moto. "Se não fosse a atitude dele, o desfecho dessa história seria outro", afirmou o delegado.
Mãe e filho foram levados para o hospital. A mulher teve uma lesão na coluna, sem gravidade. Ela foi presa em flagrante por tentativa de homicídio qualificado -ela pode ser condenada de seis a 20 anos de prisão, segundo a polícia. A família disse que ela enfrenta problemas psicológicos. "Neste momento, acho que ela precisa mais de ajuda do que ser presa", afirmou o tio da mãe G.C., 37.
A criança permanecia até as 20h de ontem internada sob avaliação dos médicos, mas não apresentava trauma físico. Segundo familiares, o menino estava muito assustado, repetia que havia caído no rio e que queria deixar o hospital.
Miranda deixou o 11º DP (Distrito Policial) de Santo Amaro, onde o caso foi registrado, por volta das 18h. "Vou passar no trabalho para dar uma satisfação", disse.




*

Sean Hagen disse...

*


LUIS
concordo.
pessoas assim trariam uma nova ética ao mundo.


GRAZI
eu penso é quantos como ele fazem essas coisas no dia-a-dia e a gente nem sabe.


MAITÊ
o esgotão foi o que mais em assustou.

SUELY
quem sabe o futuro guarda algo de melhor pra essa criança qua própria mãe tentou matar?
acho que há luz no fim do tunel.

MARY
deve ter sido tudo muito rápido.
mas tem que ser muito bom pra pensar e agir assim.

EDERSON
canso de ver os motoboys que vem traze coisas no meu prédio deixar a moto ligada na calçada. eles são neuróticos com o fator tempo, e nessas esquecem da segurança.

VINI
é bom ver que a solidariedade mostra formas inusitadas de aparecer.

MARCIA
esses instintos estão tão atrofiados na maioria, que nem sob tortura eles saem.



*

Graziana disse...

sim, nem tudo sai na mídia, não é mesmo ;)

vagem again disse...

einstein me livre de parecer heróica, mentirosa ou politicamente correta, mas em mim brotaria, ao menos, o mesmo impulso que moveu o adriano. e eu não tenho filhos, só um ascendente em áries que me deixa assim, entregue aos instintos primários.

Felipe disse...

Valeu, Sean!
A atitude do Miranda foi ainda mais heróico do que imaginei.

História bonita e real, boa pra dissolver a força de frases que ouço tanto no meu dia a dia e que me doem um bocado, pois geralmente saem de pessoas que sei que têm muito para oferecer: "ajudar pra que, se tudo está e sempre estará uma merda mesmo" ou "melhor que tudo exploda de uma vez". Pessoal aí tem razão. Voltam a ganhar sentido frases que fazem muita falta, como "tem uma luzinha no fim do túnel" e "nem tudo está perdido".

Abraço

Mariana disse...

Minha nossa. Isso sim é roteiro de ação! ;.)

O fato de ser dia do aniversário do cara ainda torna tudo mais inverossímil...

Beijo!