07 janeiro 2007

Cheirinho bão

Sempre me gabei de ter nariz de perdigueiro, apesar de não conseguir identificar cheiro de maconha no meio da multidão – falha grave, segundo uma grande amiga. Quando entro num lugar, tento descobrir, muitas vezes sem notar, que cheiro é aquele, que misturas o compoe. Talvez eu me iluda quanto a ter um olfato bem desenvolvido – como todo mundo deve acreditar que tem –, mas a verdade é que aromas me dão grande prazer. Alguns são top de linha, entre tantos e muitos, que identifico à distância.

Cebola frita – boa comida. Cozinha. Prazer. É um cheiro que instiga o gourmand tosco que mora em mim.
Figo maduro – hedonismo. Prazer das papilas gustativas.Tardes de verão.
Goiaba verde – infância. Roubar frutas nos pátios alheios. Comer em cima da árvore. Risadas.
Churrasco – fome. Sinto cheiro de churrasco há léguas quando faminto. E salivo só de imaginar que esteja mal passado.
Pipoca – gula. Nada pra fazer. Prazer de não fazer nada. É o único cheiro verdadeiramente crocante.
Chocolate derretido – êxtase. Lascívia. Paixão.
Terra molhada pela chuva – alívio. Bem estar. Esperança pro fim do calor. Renascimento. Oportunidade.
Esmalte – intensidade. Soco nas narinas. Sensação especial, não natural, não usual – não, eu não sou viciado em loló.
Cheiro de livro novo – excitação. Algo além da imaginação. Mundo desconhecido.
Jasmim-manga – tranqüilidade. Aconchego. Tempo passado.

Claro que para todo prazer há desprazer. E são muitos os cheiros que me causam asco e mal estar – de tantos, mereciam um outro post. Mas tem um que é hors concours: cheiro de perfume (em excesso). Três cenas pra exemplificar o que sinto:


Cena 1 – Você está calmamente apreciando o seu entrecot mal passado, e uma dona boa, com um paizão 30 anos mais velho, ocupa a mesa ao lado encharcada de Alma de Flores comprado no 1,99. Adeus olfato, adeus paladar, adeus saco. Acabou o jantar.

Cena 2 – Verão, 38°, ônibus lotado, sete da noite. Pior do que o bodum, é o cheiro de pinho sol que muito marmanjo espirra embaixo do braço pra tentar disfarçar o corpo putrefato.

Cena 3 – Sala de cinema hermeticamente lacrada. Você chega cedo pra pegar um bom lugar, o cinema lota, a luz apaga e aquela poltrona vazia do seu lado é ocupada por uma senhorinha que trocou o sangue por Anaïs Anaïs. Você não sabe se junta o nariz que caiu no chão devido à reação alérgica, ou se defende do ataque das abelhas assassinas.

23 comentários:

Graziana disse...

hauhauhauhau

deu pra visualizar todas tuas cenas, quase senti o cheiro...

adoro cheiro de terra molhada também, é bom demais...
gosto de cheiro de canela, chocolate e cebola fritando, que gula!
o cheiro de churrasco lembra sempre casa cheia, criançada correndo e reunião de família :)

Mary disse...

Oi Sean...
Hummm...eu tenho um "olfato" q me amaldiçoa no bem e no mal!rsrs...na gula e no asco!rsrs...
Até comentei algo sobre cheio de milho cozido na hora da fome na praia no meu post de hje!rs
Alias agradeço seus coments e te intitulo "padrinho do meu blog"..rs afinal foi pela minha ignorancia de blogueira iniciante em vir comentar aqui q ele nasceu!rsrs...
Alias vc ofereceu help e eu to aceitando viu?rsrs..Hje tente postar minha foto minha no profile e to até agora na saudade!sniff...devagarinho vou dar minha cara no blog enqto aprendo a mexer nas ferramentas!se puder me dar umas dicas por msn porq sou "lerdaaa!" mas chego lá!rs
Qdo puder me avise!
Bju

marcia disse...

são tantos os cheiros de que gosto. gente que acabou de sair do banho. cabelo molhado. lençóis trocados. roupa limpa. folha de erva cidreira. mata fechada.

os cheiros da cozinha da minha mãe: o feijão lento que invadia as narinas, bife mal passado e douradinho que ela fazia como ninguém. a páprica recendendo.

frutas de todos os tipos: abacaxi, pêssego, ameixa, morango, maçã verde, laranja doce. café sendo passado. pão quentinho. frango de padaria. rúcula.

gosto de uns cheiros estranhos: gasolina, maconha, chão de terra batida, absinto. e detesto muitos cheiros: produtos de limpeza, tinta, cigarro de manhã, batom com cheiro, perfume doce. bloqueador solar, cachorro mal cuidado, incenso, fígado, pimentão, cravo em excesso.

a lista não acabaria nunca. mas uma coisa é certa: devia haver uma lei proibindo as pessoas de mergulharem em vidros de perfume.

Sean Hagen disse...

*


áh, são tantos cheiros que eu ainda poderia citar:

mar no fim de tarde
grama cortada
de madrugada - ar puro -
folha de lima
flor de laranja
flor de pintanga
flor de pêssego
araçá maduro
uva madura no parreiral
hortênsia quente pelo sol
bolo assado
hortelã
pinhão cozinhando
coca cola
tinta a oléo
alho assado



*

Rosamaria disse...

Huuuuuuuuuummmmmmmmmm

Gostei de todos, principalmente a cebola fritando, a terra molhada pela chuva,gente que saiu do banho (da pinta), frutas, mas nada como o cheiro de chocolate da minha sala quando tô trabalhando. É divino! Não dá vontade de sair de lá.

Vou te contar: uma vez ganhei de uma amiga um creme para o corpo da Anais, Anais, era novidade. Não sabia do "poder". Tomei banho e me busuntei. Bom, tive que voltar e lavar até a cabeça e aquele cheiro parece que não saia nunca.Adivinha que fim levou o tal creme...

alho assado..hummmm

Maroto disse...

lá no meu trabalho tem um gajo que pensa que é um tremendo gostosão. Ultimamente resolveu que para ser gostosão precisa ser cheirosão também, e comprou umas colônias com tantas qualidades quanto eu vejo no próprio, forma e conteúdo. Daquelas de 1 real o frasco de 5 litros, que dão dor de cabeça até nos trincos das portas. Não me venham dizer que pra urubu a fedentina é marca da raça, porque pelo menos no nosso caso o aroma é 100% natural. :D

Rodolfo De Carli disse...

Os melhores, sem dúvida, são:
* Cebola frita: yuuuummy!
* Churrasco: no comments. Apenas tudo de bom!
* Terra molhada: cheiro de interior. Quando mistura com cheiro de mato, então...

E, com relação aos desprazeres:

Cena 3: Minha conhecida. Presencio quase que diariamente!

Meus cheiros:
* Grama cortada;
* Quindim;
* Laranja;
* Fezes eqüinas (Eu gosto, tá? Tem louco pra tudo!)

Fora os outros mil e tantos.

marcia disse...

ah, Rodolfo, cocô de cavalo? mas que cou-sa.

Maroto disse...

rodolfo mora no RS? Se não mora, deve se mudar já - aqui é o último estado do Brasil no qual cocô de cavalo ainda é cheiro típico do meio urbano.

lila disse...

eu ainda tou de castigo, tio sean?

eu sou uma pessoa muinto de sensações, amo amo amo cheiros e gostos. Carme besuntada em alho, batata fritando, milho cozinhando. E, ultimamente eu ando meio viciada em gel de banho e hidratante da victoria's secret.

Aleksandra Pereira disse...

Amei a lista, Sean, identifico o meu gosto em muitos itens.

Mas cheiro de livro novo prá mim tá ali pertinho de cheiro de terra molhada, que eu amo. Sempre que estou com um exemplar novo na mão, o abro ao acaso, cheiro as páginas, pinço uma linha. É já o início de um ritual.

Adoro cheiro de café fresquinho, mas após tomá-lo, espirro como uma condenada. Todos os dias. Mas não deixo de tomar.

Cheiro de casa limpa. Não é nem tanto somente o cheiro, mas a sensação de leveza que fica, o ar fresquinho, tudo em seu lugar... não sou Amélia, mas gosto de tudo arrumadinho!

Cheiro de mar, esse cheiro que fica na gente mesmo quando já estamos em casa, e bate aquele soninho depois de ter ficado no sol, e quando tentamos dormir sentimos ainda o balanço das águas, delícia...


A lista é grande, meu querido, mas uma coisa percebi ao te escrever: as minhas experiências são muito sinestésicas, não consegui me manter só nos odores, percebeu?

Beijo grande.

Ana disse...

Cheiro e memória andam juntos!
Lembro do cheiro da "casa" das minhas avós, pode??

Viajei com teu texto!

E concordo: cheiro de perfume forte e invasivo é deplorável!!

Nanachara C. disse...

Compartilho de muitos dos cheiros de várias das listas. Mas um que eu adoro, e nao está ai, é cheiro de folha recém mimiografada. lembro do tempo de primário: a professora mimiografando os trabalhos e nós abanando (e cheirando) as folhas para secarem logo e nós pintarmos... Eu gostava mais de cheirar do que de abanar, na realidade. Secas, perdiam o cheiro.

Maitê disse...

Sabe, como vivo com rinite quase todo o ano, não sinto cheiros de muita coisa. Churrasco, que eu não gosto, pipoca...
Cara, alma de flores não é nada. Odiava quando eu ia na escola, no segundo grau e passava por mim uns mauricinhos, cabelo lambido, ajeitadnhos, fedendo a Musk. Putz, terrível... Sei que é, pois meu glorioso irmão tbém usava. Abs

Rodolfo De Carli disse...

ah, marcia. como eu mesmo disse: tem louco pra tudo!

clarice disse...

Nossa,depois de ler tudo isso vou ter que rever meus hábitos!Amo usar perfume!E o pior tomo banho deles!Putz!!!

Sean Hagen disse...

*


CLARICE

huáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuáhuá
quando eu for comer naquele restaurantezinho legal a beira mar vc promete usar algo bem de leve?
promete mesmo?
:p



*

Mariana disse...

Adorei! Adoro cheiros! Vou escrever sobre isso, também.
Beijo!

vagem again disse...

os que moram em porto alegre e vezenquando passam pela rua da praia já registraram uma inhaca braba bem ali na altura das americanas? diz que vem daquela banquinha que vende pão de queijo, mas eu duvido - que, tirando mocotó, miúdos e peixe, não há comida socialmente aceita que possa feder daquele jeito. parece, a catinga da rua da praia, um descendente direto das cousas que eliminamos a portas bem fechadas. ugh!

TARCIO VIU ASSIM disse...

Pinho Sol no suvaco, Professor?! Funciona?!Vixe, vou ensinar essa para uns amigos meus. Talvez seja minha última esperança de alívio nasal.
-
Abraço sertanejo.

Vivien disse...

xôn, o barato do cheiro é que ele pode transportar pra um período: o perfume que me lembra minha avó ou o perfume que eu usava quando era casada ou o cheiro de colônia de bebê que tinha meu filho há anos.
beijim.

Thelma disse...

Genial!!! Teus bons e maus olores me fizeram delirar aqui!
Concordo com Anazen, quando ela diz que os cheiros andam junto das memorias. Minha mae faleceu há 20 anos e eu ainda sinto seu cheiro cada vez que entro na casa onde ela viveu.
Muito legal o teu texto! Bjs.

Felipe disse...

Ahahahahah!
Xôn, me identifiquei com tudo o que escreveste. Tenho o olfato muito sensível, sei de longe quando o tomate de uma salada está azedando ou se o pão mofou. Também tenho dificuldades com a fragrancia maconhal. Sempre confundo com cheiro de algum defumador.
Abção!