24 maio 2007

Eu não sou uma gralha azul

Uma criatura neurótica alega não comer pinhão porque parece barata.
Eu comeria todas as baratas se tivessem gosto de pinhão


E o tal frio começa a dar as caras. Tímido ainda. Às duas da manhã, a temperatura oficial em Porto Alegre era de 7°, mas a sensação térmica estava mais baixa. E alguns lugares da cidade, mais baixa ainda. Se a meteorologia acertar, coisa rara, vão cair mais uns graus já ao anoitecer.

Que piada ficar cruzando os dedos pra que um friozinho merreca desses persista e traga a ilusão de que é possível viver civilizadamente. Foi-se o tempo em que o Rio Grande do Sul tinha as quatro estações bem demarcadas. Agora temos um cáustico verão eterno, com dias pontuais de temperatura amena em junho e julho.

E não é só pelo fato de poder caminhar duas quadras sem suar cântaros que gosto do frio. O corpo pede ação, o estômago pede ação, o cérebro pede ação. A gente se sente vivo, e não uma batata assando no microondas.
Na foto fica bonito, mas não se engane, está verde.
O melhor é quando está vinho-escuro, com mais peso e bem maduro


Ontem me fartei com pinhões, talvez o maior ícone do inverno pra mim. Se tivesse que levar meia dúzia de alimentos pra uma viagem à Marte, pinhão seria um deles – filé mal passado, coca cola, chocolate, doce de ovos e pão seriam as outras. Não sei se o pessoal acima do Paraná é familiarizado com pinhão, mas eu sugeriria que todos provassem pelo menos uma vez na vida. Cozido com água e sal, ou assado direto na brasa, é supimpa, daqueles alimentos prefeitos.

Pena que as florestas de araucária, único pinheiro brasileiro, estejam em acelerada extinção. Reza a lenda que a gralha azul era a maior responsável pelo plantio das árvores. Olhuda como ela só, enterrava o pinhão pra esconder dos predadores. Mas como sempre guardava muito mais do que podia comer, acabava virando eco-florestadora.
Alguém duvida que a gralha azul é torcedora do Grêmio?

Eu e a gralha só temos em comum a paixão pelos pinhões. Mas já pensei seriamente em botar minha toca azul e fazer terrorismo ecológico. E depois, esperar que o maldito frio apareça pra eu poder colher pinhões nas ruas e praças em que escondi as preciosas sementes carnudas.

26 comentários:

Laurinha disse...

Mim também ama pinhão... Da última vez que fui pra casa da minha mãe, ganhei uma sacolinha cheia deles da minha tia!

Confesso que tenho 'problemas' pra 'descascar' os benditos, mas o esforço ajuda a melhorar até o paladar: muita água-na-boca!!!

:D

PS: Muitas gralhas azuis no meu apartamento hoje! :(

Adriana disse...

Sean, adoro pinhao, adoro castanha assadas, nozes...um bom vinho tinto...lareira acesa...adoro todo que tenha a ver com inverno...so dispenso a chuva..Voces começando o inverno e o verao chegando...sufocando..
Coma muitos pinhoes por mim...
beijinhos carinhosos do outro lado do oceano

Graziana disse...

eu adoro tudo que diz respeito ao inverno, vinho, lareira, docinhos, comilança, mas pinhão???
não como pinhão nem que me paguem!!!! hehehehehehehe

firvidas disse...

Já não como pinhões desde os meus dias de menina em Portugal. Encontro-os aqui empacotados, sim, mas não tem nada com o sabor da minha memória, quando subia os pinheiros e os comia fresquinhos...

Clélia Riquino disse...

Também adoro pinhão, Sean! Mas nunca comi assado. Só cozido, na água, com sal. Minha mãe, qdo eu era pequena, costumava dar um talo na cabeça de cada um deles, pra que o sal penetrasse... Eu já não tenho esta paciência!

Lareira, vinho, chocolate quente (com rum), caldos, cremes & sopas, no inverno, é delicioso!

bjo & abço quentinhos,
Clé

Daniela disse...

Sean,

Para o inverno aqui ficar civilizado, falta calefação nas casas. 16ºC dentro de casa não é uma temperatura civilizada.

Uma vez, estava conversando sobre isso com um francês que estava morando em Porto Alegre, e ele me disse que nunca passou tanto frio como aqui no inverno.

Tirando isso, e os pinhões, que eu definitivamente não gosto, o resto é ótimo, vinho, queijo, chocolate, sopas, e o melhor: dormir!

Rosamaria disse...

Adoro pinhão, mas nunca comi assado. Faço uma farofa com eles que é deliciosa, qualquer dia coloco a receita no blog.

Se adoro pinhão, imagina vinho, lareira e chocolate!!! Tem coisa melhor? Só se for com boa música e uma companhia agradável.

Bjim.

>> [eRRuD!To] ... disse...

aqui em casa tem uma comedora compulsiva de pinhão. mas não me condene, eu não gosto. por outro lado, sou apaixonado pela árvore de araucária, acho uma das mais bonitas que existe. uma paisagem ao entardecer com as sombras das araucárias é algo fabuloso. uma névoa ao redor também.
e mesmo não comendo o fruto, pode chamar, eu ajudo a plantar.

Adriana Amaral (Lady A.) disse...

odeio pinhão..bleh!!!

marcia disse...

quando já vem descascadinho, eu encaro. :D

Clélia Riquino disse...

O Arnaldo é como a Pinta, folgado, ao extremo! Mas eu descasco pra ele...

Jonice disse...

Também estou aplaudindo o frio aqui em Curitiba. Que saudade dele! Agora vou sair comprar alguns pinhões... lol

Anônimo disse...

Toca azul ou gruta azul?

Lu disse...

Não gosto do frio e gosto um monte de pinhão. Mas ter que descascar é um saco. Esse negócio de põe na boca, morde e ele sai, às vezes não dá certo comigo. O inverno me faz comer mais, em quantidade, aí vem a culpa dos kilos. Ainda bem que não gosto de chocolate, gosto pouco de vinho, mas em compensação, queijo e coca-cola, não pode faltar. São sempre bem vindos.

Ana disse...

Adoro pinhão! Meu avô tinha sempre uma "cambona", na lareira, com pinhões cozinhando. Ficavam ainda melhores, ali, na beira do fogo!
Que coisa boa lembrar!

Arnaldo disse...

Nunca pensei sobre os 6 alimentos que eu levaria pra Marte. Filé mal passado, também seria a minha primeira escolha. Pinhão não entraria ne lista, nem que eu pudesse levar 60 alimentos.

Maitê disse...

Ai, Xôn, eu adoro pinhão. Mas conheço um moço mais doente do que eu por isso. Bah, me deu uma vontade de comer pinhão, mas eu moro em pensionato. Acrescentarei a lista dos quitutes que minha mãe vai ter que fazer para mim comer.

Abs

Penkala disse...

bah, eu gosto tanto de pinhão que até invento uns pratos pra colocar eles dentro. sou compulsiva, feito a ângela. quando eu penso que o inverno é uma estação em vias de desaparecer, uma das coisas que me apavora é: TÁ, MAS E OS MEUS PINHÕES?

uh, coisbembôua.

claudia lyra disse...

Quando vier me visitar, venha na primeira quinzena de maio, pois é quando tem a Festa do Pinhão aqui em Visconde de Mauá. Uma delícia!

Clélia Riquino disse...

Ontem, à tarde, fui comprar pinhão, no supermercado. Fiquei com vontade! Vou cozinhá-lo, agora de manhã...

Zeca La-Rocca disse...

Aprecio muito uma boa cozida de pinhã, mas assim como o chimarrão, tem q ter uma roda de amigos...

e com toda a oferta q temos aqui, quase não como. tbm o chimarrão, raramente faço só p mim!

Thelma disse...

Vou pra Marte contigo, ta? Teu gosto pelo pinhao e pelas outras comidas escolhidas para a viagem interplanetária me agradam muito.

André disse...

Interessante o texto, pena o efeito dos pinhões. :S
Que por sinal, são ótimo, inclusive preparados, cozidos, moídos, com carne de porco, moída e temperos.

Eternamente Berenice disse...

Adoro pinhão...hummm me manda uns aqui é tão dificil de achar...me deu água na boca.Bjsss

Chawca disse...

Putz, nem lebrava que isso existia,,,comi muito isso quando criança na casa da vovó....

Laura disse...

Adorei seu blog, as fotos estão lindas...
principalmente a do pinhão...