14 maio 2007

Pôrta Legre

Quer ver uma coisa que me irrita? Ligar a TV e ouvir paulista e carioca dizer Pôrta Legre. Qual o problema em falar certo o nome?

Eu não digo Sã Paulo ou Ridjá Neiro. E uso pra cidades o mesmo esquema que uso pra pessoas. Quando conheço alguém com um nome não usual, a primeira coisa que faço é perguntar como se pronuncia e escreve. É uma questão de respeito, as pessoas e coisas são nominadas por alguma razão específica. Sei bem a confusão que causam quarto letrinhas – s, e, a, n – quando as pessoas se recusam a ler o que está escrito ou decidem pronunciar da forma que elas gostariam que fosse. É muito complicado aceitar que o nome é meu, e eu sou meu nome?

A grafia também é importante: Sean é diferente de Ciã. Notam? Marcia sem acento é uma coisa, Márcia com acento é outra – tô certo dona Pinta?

Mas voltando a vaca fria. São duas as tribos que adoram assassinar o nome da cidade: os descolados – atorezinhos, modelos, cantores da hora, publicitários – e os boleiros – jogadores, repórteres, cartolas. Longe desses guetos, a coisa tende a ser mais civilizada.

Eu fui bem educadinho pela mamãe, conheci de perto o cinto de papai, e uso minha colônia penal de neurônios da melhor forma que posso. Mas tudo tem limite. Se o malandro vier cheio de marra me perguntar “Xan, você mora em Pôrta Legre?”, lamento, mas o tempo fecha. E vira um lindo céu da capital gaúcha, negro e carregado como só os nativos sabem apreciar.

17 comentários:

marcia disse...

xerto, xuxu. :)
esgana daí, que eu escalpelo daqui.

claudia lyra disse...

Ai, Deus! Eu acho que falo Porto Alegre de maneira errada... mas não é por maldade, juro! Acho que é desleixo com a minha própria maneira de falar. Uma coisa meio mineira que herdei da mãe, deve ser. Conversar com mineiro quase exige tecla SAP, não é? Eles conseguem diminuir tanto as palavras. Sabe aquela coisa de "pó pô o pó? Pó pô..."

Lu disse...

hehehehe. Também odeio isso, principalmente quando escrevem meu nome errado, trocando o S pelo Z... fico p da vida. Meus vizinhos sempre chamam minha filha de CamilA e é CamilE, com E. Ainda não tive a oportunidade de corrigir, pois não falaram pra mim, só ouvi de longe.... mas eles que me aguardem!!! É tão difícil assim? Custa fazer o que é certo ao invés de fazer o que "acha" que é?

Rosamaria disse...

e o pior que acontece o mesmo que 'correr o risco de morte', todo mundo acha diferente e começa a usar.

eu vou te chamar sempre de bunitinhu, aí não tem erro!

Graziana disse...

bom, ser chamada de Graziana é bem dificil, ninguém acerta!!!!!! até escrevendo as pessoas trocam o nome, é graziela, graciela, graziele, tudo menos Graziana, nem é tão dificil assim Grazi+Ana, simples e fácil!

e quanto aos sotaques é muito engraçado ver os cariocas tentando falar com o nosso sotaque portoalegrês, não conseguem de jeito nenhum, ficaram com a herança de portugal e falam todos o X e S do mundo :)
e paulista, alguns falam com muita giria, daí só com tecla SAP :D

maristela bairros disse...

Xõn (pode ser assim???) Te alembra quando, naquele primeiro Porto Alegre em Cena, dame Bárbara Heliodora, vulga miss Shakespeare para os íntimos, te olhou bem nos olhos (e de alto a baixo, me lembro, me lembro), e disse que teu nome era do maus puro irlandês??? E dizer que até hoje não nos deram a foto que fizemos juntos com ela? E dizer que eu levei dame BH para comprar roupa no Renner??? E dei palpite ainda? Que coisa!!! bj
maristela, vulga marie étoile
ps: rola um café dia desses? preciso botar as neuras em dia nesse irishlibia ombro amigo

Luís Galego disse...

O problema meu caro é de raiz....também aqui em terra de camões se assassina a lingua portuguesa a todo o momento...devia dar pena de prisão!!!Um abração

Daniela disse...

Não me irrito com isso porque a minha memória auditiva é péssima. Não é o caso de portalegre, porque são duas palavras em português claríssimo, mas palavras em outras línguas, eu tenho que ouvir umas 50 vezes até decorar a pronúncia. Por isso até hoje o meu inglês é péssimo.

Eu me irrito muito mais com internetês, essa mania de escrever o que não existe. No alto do meu preconceito, se eu ler um "naum", já desqualifico imediatamente o autor. Por que não escrever "nao", se tem preguiça de usar o acento?

Mas voltando a portalegre, eu até acho interessante, queria saber quem é que começa com isso, porque noto que aumentou nos últimos tempos.

Maroto disse...

ué, não entendi, tu não mora em pôrta legre, xan? :D

marcia disse...

tava aqui, quase indo pro ninho, quando lembrei de vir cantar uma musiquinha pra vc dormir:

pôrta légre é dimaisxszxsxsss...

:P

ederson disse...

ok, não compartilho de tua irritação.

mas, me diz uma coisa (e é sério): como se pronuncia teu nome?

não quero te encontrar um dia, pronunciar errado e levar uma rasteira.

Adriana disse...

Sean concordo integralmente com voce, eu detesto diminutivos, apelidos... te promete que se ouvir alqguem comer as letras de Porto Alegre eu bato....
Muito obrigado pelo desejo deixado no meu blog, tardei em responder pois estava de viagem a Portugal, mas ja voltei...
Beijinhos carinhosos do outro lado do oceano

Lilaise disse...

menó idéia de como eu falo porto alegre. mas certamente eu falo, E grafo, ridijãnêru. FATO.

Nanachara C. disse...

Então vc deve entender bem o meu caso. Poucas pessoas entendem q meu nominho é Nanachara. Simples assim, tudo junto, com CH, e que escreve como fala.
Já Concórdia, é facinho, facinho. rs

Ana Paula Montandon disse...

Sean,
É realmente educado perguntar a pronúncia quando não se entende uma palavra. Mas o que me tira do sério são aqueles emails com mil erros de português! Beijo!

Chawca disse...

´Deve ser irritante mesmo, mas pelo que pude perceber no pouco tempo que passo por aqui é que vc não tem nada a ver com esse povo que fala assim, que geralmente tem a cabeça vazia e não fala nada com nada...
Mas respeito é bom e eu gosto, até mesmo pela lingua que anda tão maltratada...

Um abreaço

Maitê disse...

Pior do que isso, caro Xôn é que Paulista fala treis e veiz, ao invés de três e vez!

Abs