12 julho 2007

Relativamente frio

Nove da noite. Os termômetros marcam 3° em vários locais de Porto Alegre – fontes oficiais dizem que ontem fez a noite mais fria na capital gaúcha nos últimos 46 anos. Da rua, o restaurante envidraçado parecia acolhedor: luzes quentes, fechadinho, e a promessa de comida fumegante. Ao botar o pé no recinto, noto que está tão frio dentro quanto fora. Num canto, ao alto, um tremendo condicionador de ar está desligado. “É possível ligar o ar?”, pergunto ao garçom, que numa sinceridade desconcertante diz: “Esse é só ar frio, o dono resolveu economizar. Faz tanto tempo que não faz frio que ele achou que não precisava se preocupar com isso”.

Mas precisava. Sento numa mesa de canto, no encontro entre duas laterais envidraçadas, e um maldito sopro de ar frio me gela as orelhas. Entra pelas fendas dos vidros. Troco de lugar, faço o pedido, e fico olhando a paisagem enquanto espero meu file à parmegiana. Ao fundo, um adolescente passa de bermuda e blusão. Já tinha visto outros pelo caminho, e fico pensando até onde vai a bravura ou a estupidez de cada um. Ou se frio não passa de uma sensação relativa, dependente do que você está fazendo ou quer num dado momento.

O pedido chega e me entretenho em garfiar com afinco a comida quentinha. Mas não tenho como deixar de perceber uma figura altíssima, cabelo gigantemente desgrenhado entrando no restaurante. Além de algo que não se encaixava bem em uma mulher, vestia, debaixo de um longo casaco aberto, jeans justíssimo e uma blusa que só tapava os peitos. A barriga estava totalmente de fora. O amigão que a conduzia faceiramente como um troféu parecia gostar dos modelos. E quando digo modelos, no plural e masculino, me refiro à roupa e ao modelo que a trajava. Pensei: vão pedir sopa e vinho pra aquecer o corpo e manter a pose. Que nada, pediram duas cocas e sanduíche aberto, como se fosse uma noite quente de verão.

Mesmo não sendo tão corajoso quanto os guris de bermuda ou a modelo de barriga de fora, ainda adoro desfrutar o que esse clima oferece de melhor. Pensei nisso ouvindo o gelo bater contra o copo enquanto bebia minha coca estupidamente gelada.

14 comentários:

Maroto disse...

Ontem à tarde cheguei do trabalho e meu filho estava pela casa de bermuda. Segundo ele, só quem sente frio é velho e criança. Devia ter lhe dado um socão pelo desaforo, mas eu não consegui me desencolher debaixo dos casacos.

Laurinha disse...

Hahaha! Onde foi a festa?
A minha noite gelada teve direito a febre, caipirinhas e dança de bibliografia!!! :D

Rosamaria disse...

Sean

ontem saí com o Taba e vi garotos de bermuda na rua e meninas de barriga de fora num café.
fiquei pensando: os guris não sentem frio,talvez estivessem voltando da física, mas as gurias querem é mostrar a barriguinha, pq o frio tava demais!

mas tu tá gostando do friozinho, né? no meu tempo de menina era sempre assim.

Camu disse...

Como é engraçado nos vermos nos outros, né não, Mr. Coca Com Gelo Inclusive Pela Manhã!
Bj

Adriana disse...

Sean, aqui temos 8 meses de frio e o resto dizem que e verao e a minha filha nao muda a roupa, inverno ou verao, vestidos curtissimos, camisetas de alças e por cima u leve casaquinho e eu qdo faz frio ponho todas as roupas que tenho direito, depois para tirar e complicadissimo.Aproveite o invern bebendo bons vinhos, comendo uma paella, mariscos, bacalhau que o frio passa a ser psicologico.
beijinhos carinhosos cheios de energia positiva do outro lado do oceano

Ana disse...

Brrrrrr...

Se até tu tá achando...

Tô encarangada! Não inventaram, ainda, um mouse com aquecedor??

>> [eRRuD!To] ... disse...

a moça tinha "pirci" no umbigo?

Fabi disse...

E eu achando que aqui ta frio, rs
Adoro seu jeito de escrever... já disse isso?
Beijão!
=*

Luís Galego disse...

isso é o que é estar de bem com a vida....nesse aspecto náo portugueses temos muito que aprender com vcs...

marcia disse...

é que sanduíche aberto tem aquele lance sexy do palitinho.

Cátia disse...

A temperatura interna, se não estamos com febrte, fica na mesma, então tanto faz vc tomar coca com gelo no inverno ou no verão!!! Assim como sorvete...
Magníficas observações de uma noite de inverno...

maristela bairros disse...

Ah, Sean, a gente também fazia isso quando tinha 20 anos! Lembro que andava sempre de calça lee (pode rir, era o melhor da época..) inverno e verão. Não sentia frio nas pernas como sinto agora, quando tenho de botar sempre uma meia calça por baixo. Tirando o exibicionismo do casal, normal.
ps: Docinho e Occhi te enviam au-aus magoados. E dizem que preferem morar num ap com edredon quentinho e mimos da mamy do que viver lá no morro da tv, a céu aberto. Mas juram que não querem te ver no inferno. Nem eu. Só te rogam uma praga: que topes com um vira-latas abandonado e te apaixones de vez. No que com eles concordo.
bj
maristela

Lu disse...

Bah, e tava frio pra caramba mesmo. Eu sempre fui muuuuuito friorenta. Nunca andei de barriga de fora no inverno, nem quando podia e tinha idade pra isto. Não sei como esta gente consegue. Tudo pra mostrar uma barriguinha e a gente morrer de inveja..... de não sentir frio é claro e não da barriga sarada....hehehehe

Mirna disse...

Eu não sinto frio, normalmente. Estou sempre quente, então eu nunca tive problemas com o calor. Sim, com o ar condicionado, porque às vezes eu tenho muito frio. Ah, e, por vezes, se eu não usar condicionador, ar condicionado me deixa bem o cabelo. Remove a umidade.