30 julho 2007

Uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuh

O Pan 2007 será lembrado como o encontro das vaias. Tudo o que se movia e respirava, e não tinha “cara” de brasileiro, tomou vaia. Vaiou-se por motivos políticos, por motivos culturais, por motivos sem motivos, por frivolidades. Vaiou-se por não se aceitar a diferença, por não se enxergar um outro, por se sentir diminuído, por não se ter civilidade para compartir espaços.

Vaiaram-se delicadas meninas equilibradas em traves de 10 cm; vaiaram-se parrudos jogadores de vôlei; vaiaram-se atletas consagrados e de longa trajetória; vaiaram-se inseguros estreantes.

Agora que a bolha de sonho se desfaz, o belo Rio volta à normalidade. Volta a se preocupar com seus crimezinhos e chacinas banais; volta a ser acuado pela violência, fome e falta de condições; volta a se preocupar onde a classe média vai comprar drogas de boa qualidade nas bocas de fumo dos morros.

Mas pra esses casos, não há a mínima mobilização pra vaia. Talvez porque sejam cotidianos e desimportantes demais, não merecem uma mobilização cívica. O tédio faz coisas incríveis.


15 comentários:

Maroto disse...

A classe média se mata na academia, passa fome, faz o maior esforço e arrisca a saúde com anabolizantes e de repente vem esse bando de moçoilas sem nada sobrando e gostosões sem nada faltando avacalhar a concorrência? Só tem uma coisa justa mesmo, e é vaia neles!

Maroto disse...

eu disse classe média? Estou lendo demais este blog, porque eu devia saber que a classe média MESMO trabalha. Quem faz tudo isso aí em cima é o andar mais de cima, vulgo azelite.

Whispers disse...

Ola!!

Obrigado pelo comentario

Eu ate que sou uma pessoa bastante alegre por isso nao sou (fanzona)simplesmente adoro a noite o escuro e as imagens.
beijinhos em seu coracao
whispers

marcia disse...

demonstração de incivilidade, barbarismo e volta às trevas.

não importa o outro nem onde estou.
importa só o MEU prazer, e o que EU quero agora é "me expressar", e MINHA melhor forma de expressão agora é a vaia, e daí, "vai encarar?".
se o cara não tem o que dizer, ele vaia.
se ele não enxerga o outro, não tem a menor consciência do esforço de um atleta, do que significa para este atleta estar ali, então o cara vaia.
porque pra este cara aquele momento não significa nada, é só comer pipoca e ir embora, é um showzinho a mais, não significou horas de treinamento, dores, choro, sonhos, perdas, saudade da família.
o que significa, pro cara que está na platéia, um segundo de concentração? nada. aliás, ele ña maior parte das vezes nem sabe o que é concentração, nunca precisou se concentrar verdadeiramente em nada.

o que vejo é uma mentalidade niilista, blasé, autocentrada, que vai nos levar a uma sociedade cada vez mais bárbara.

Graziana disse...

ontem vi o encerramento do Pan e todas as vais...
vais, polr exemplo, porque a seleção masculina de Cuba não foi buscar as medalhas... essas pessoas que vaiaram nem sabiam o porque que eles não compareceram, não sabiam de nada...

assim como aqueles que vaiaram nossa autoridade máxima na abertura. pela primeira vez um presidente não fala na abertura dos jogos panamericanos!

também me pergunto porque não vaiam tudo que está acontecendo no RJ, que de maravilhosa, quase não tem mais nada

o RJ em algum lugar do passado deve ter sido maravilhoso, hoje o que vemos é miséria, caos e medo na cidade e, tudo isso sim, merece uma grande vaia.

deysi disse...

O Brasil é uma piada!Tenho raiva dessa gente que busca em "Pans" e "Maravilhas do Mundo" um motivo pra falar bem do Brasil. Somos um bando de palhaços que só vaiam o que não tem que vaiar,mesmo. Affe, estou MAIS cansada do que o usual desse país.

Luís Galego disse...

as vaias monumentais costumavam ser na Opera, como reza a história das artes do espectáculo. A vaias a politicos têm-se intensificado nestes últimos tempos...as vaias a estrangeiros é que não pode ser....não somos todos irmãos (lol)??

Rosamaria disse...

eu gosto de chegar nos blogs depois da pinta pq ela diz tudo o que tem que ser dito na maneira só ela sabe fazer.

em resumo: é um bando de mal educados.

ederson disse...

vou recomeçar a estudar alemão e me mandar daqui

Claudia Lyra disse...

Jeito bobo de se protestar... fazer o que, né?

Maitê disse...

Brasil é um lugar tão bom, né? Não vejo a hora de me mandar, heheh

A, o Nic Cage~´e meu ator favorito, hehe

Abs

Arnaldo disse...

Gostei muito do teu texto, assim como do comentário da Márcia. O que está ficando, cada vez mais claro pra mim, é que uma parcela cada vez maior da sociedade tem sido muito individualista e intolerante. Isso é assustador, pois pode fugir ao controle. A história está cheia de exemplos em que a intolerância gerou fatos horríveis. Sugiro a leitura deste texto do Bruno Ribeiro.

PULCHRO disse...

Têm brasileiros que se contenta com uma simples váia como protesto. Mania de coisa pouca.

Flávia disse...

Oi Sean.
"O tédio faz coisas incríveis." Maravilhosa frase. Concordo contigo.
Abraços,
Flávia

Ferdibrand disse...

Fen�meno estranho, a vaia. Como forma de protesto, ela pode ser completamente pertinente - ou o exato contr�rio. Mas o problema maior � que ela tem sido o limite da coragem que o brasileiro que se d�.