17 setembro 2007

Estupro mental

Quem acompanha esse blog sabe que sou petista. Voto no PT desde a primeira eleição livre, lá naquele perdido 1985 pós-ditadura. Mas isso não me impede de mostrar meu profundo desagrado com o rumo que o partido trilha. Quando o Lula tem a pachorra de dizer “Não acho que haja impunidade” no caso Renan Calheiros, merece a morte política que o aguarda. E como ele sempre sabe piorar as coisa, foi mais longe: “A sociedade fica achando que precisa prender. Mas para prender, é preciso ter mecanismos”. Lula está certo: precisamos de um governante e um Congresso pra isso. Coisa que, parece, não temos.

Muito provavelmente, Lula vai da presidência para o limbo. Não imediatamente, é claro, ainda terá uma sobrevida política. Mas será lembrado como o presidente que impediu o estabelecimento de uma ordem moral na política. O presidente que salvou amigos e correligionários da forca. Ninguém vai falar que o Brasil saiu da linha da miséria no governo dele. Que milhões de pessoas deixaram de morrer por receber um auxílio mensal irrisório. Que a taxa de juros caiu como em nenhum outro período da história, possibilitando o início de um crescimento econômico.

Lula vai ser conhecido como o presidente que deu continuidade ao trabalho de Fernando Henrique Cardoso – este, sim, cultiva uma bela imagem de grande estadista de nível internacional. E no entanto, o grande feito de FHC foi estancar a inflação, ainda quando era ministro de Itamar Franco. Mas a um preço tão absurdamente alto, que a recessão imperou por mais de década, intensificando a pobreza, o desemprego, a saúde e afundando o país. Isso sem falar na farra das privatizações, maior distribuição de favores que um governo poderia fazer.

Alguém que é capaz emitir comentários como esses num momento em que se pede respeito moral, realmente merece o limbo. Lula devia ser proibido de abrir a boca até pra respirar. Talvez daí ganhasse algum crédito pelo que vem fazendo, apesar do muito que ainda falta fazer. Usando uma idéia do boçal e estúpido Maluf, outro grande frasista da política, eu peço: matem-me de uma vez, mas chega de estuprarem minha frágil inteligência.

15 comentários:

PULCHRO disse...

Nem todos os petista pensam assim como você.

Nana disse...

Sean, assim como tu sou petista e já teve época em que me orgulhei disso! Agora estou lendo um livro chamado "Mosca Azul", do Frei Beto, e é incrível como uma pessoa pode "mudar". O livro conta desde a primeira vez que o autor e Lula se encontraram até o abandono do Governo feito por aquele que acredita ainda em mudanças...
É no mínimo triste!
bjs

Maroto disse...

coloco meu bico de tucana no armário pra concordar contigo em quase tudo. Quase, pois discordo que o custo de conter a hiperinflação tenha sido maior que o estrago que a dita cuja causaria por si mesma. Eu também, apesar de neoliberal até a última peninha, tive engulhos com a farra das privatizações. Eu também, apesar de não ser petista, botava fé no Lula em 2002.
Tem alguma coisa no ar de Brasília que apodrece o cérebro das pessoas, só pode ser isso.

carmen abreu disse...

Pois é Sean, acabei de ouvir o Lula dizer no Jornal Hoje, "Vou encontrar meu amigo Bush...". É incrivel como ele consegue sempre se superar nos comentários, estou realmente triste com o que está ocorrendo. Sou petista também e está bem difícil conviver com tudo isso.

Lu disse...

Pois é, tb sou petista. Mas me sinto como mulher traída sabe? Tu confia naquela pessoa e acredita que ela também te é fiel. Um belo dia, tu descobre que não é bem assim. Mas ao mesmo tempo tu ama, odeia, dá vontade de chutar o balde, mandar tudo as favas. Claro que nestas horas só vem a cabeça as coisas ruins e mal feitas, esquece-se o que aconteceu de bom. Acho que é mesmo do ser humano, sei lá. Então oque fazer na hora de votar? Vota-se no candidato, no partido? Eu ultimamnete tenho escolhido meus candidatos a dedo, mesmo que muitos venham dizer que este tipo de escolha leve ao populismo. Mas enquanto não se acha uma saida, uma solução para os partidos, sigo minha meta. Ainda bem que este casamento não é até que a morte nos separe. Mas é triste este desgaste e a desilusão do que não conseguimos conquistar juntos.
Quando chegar a hora de votar pra presidente com certeza vou me perguntar: e agora José?

maristela disse...

tá aqui, ó, na ponta da língua, não tenho como trancar: eu sabia que ia dar merda. por isso, nunca votei nele, nunca acreditei nele e acho que ele e o collor estão no mesmo patamar de jogo de sedução, tanto que a tal classe média que votou no ex-marido de rosane (cruzes, já tivemos isso na vida!)votou no lula duas vezes. agora, é güentar.

Rosamaria disse...

eu não gosto de política, acho que por ter visto sempre tanta coisa errada, mas não sou analfabeta. achei que o Lula ia mudar alguma coisa. ele enganou a todos. tô com a Lu...e agora José?

Arnaldo disse...

Sean,

Nunca fui petista mas tenho votado sistematicamente no PT. Aliás, desde que rompi um incipiente namoro com o PCB, ainda na adolescencia, que procuro evitar que me possam qualificar de qualquer coisa que leve o sufixo ISTA. Também estou absolutamente descontente com o governo Lula, mas acredito que a opção Alckmim teria sido uma merda infinitamente maior. É duro ter que escolher o menos pior.

E agora, olhando de longe as opções para a próxima eleição, daqui a 3 anos, dá um desgosto...

Maroto disse...

MARISTELA, a 'tal classe média' é eles? Tu és aristocracia ou proletariado?

Isadora A. disse...

e não é ?

acredita que uma das teses que eu estou lendo é sobre o senhor FHC querido?

e sem estupro !

só apaguem tudo o que ele já disse no passado, por favor, se ainda querem um pouco de integridade moral !

Graziana disse...

sempre votei no Lula, simpatizava mais com a sua figura do que com o próprio PT.

concordo que ele deveria ter ficado com a boca fechada desde o outro governo, ele só fala absurdos... no primeiro governo os absurdos ditos foram em número menor comparado ao segundo...

o poder corrompe, o Lula que está no governo hoje não tem nada daquele Lula de 1989, não tem nada do "Lula lá", aliou-se aos caras que ele era contrário para continuar no poder, aliás fez muitas coisas que dizia que não faria ou que repudiava para manter-se lá...

é lamentável.

e o PT, único partido que falava aos quatro cantos do mundo que não era corrupto está em maus lençóis, quem será o próximo candidato do partido?
talvez seja o limbo, tanto de Lula, quanto do PT...

Ferdibrand disse...

Um pouco do que penso sobre as mudanças que a política brasileira teve desde que votamos pra presidente pela primeira vez está lá, fresquinho no meu blog, em homenagem não ao Lula, mas ao presidente do Senado.

Se o Lula, como disse a Graziana, dizia menos absurdos no primeiro mandato, é porque ele ainda tinha em vista quatro anos no Planalto.

Entretanto, não acho que o poder corrompe. Acho que não se chega a ele sem se deixar corromper - isso para quem ainda tem uma visão idealista do papel que o Estado deve assumir.

E as falas de Lula nada mais refletem do que isso.

Fabi disse...

Voltando ao normal, ainda sem entender muito bem o que acontece... rs
Quanto a achar alguém pra me ajudar ver o mar, não achei.
Mas olhei sozinha e fiquei bem mesmo assim.
Tem jogo no meu blog, participa??
Depois volto pra por minha leitura do seu estranho mundo em dia...
Beijos!
=**

marcia disse...

tudo isso é muito difícil, porque nos mostra o quanto estamos impotentes. estamos regidos pela lógica da ganância, e sobre ela temos pouco (ou nenhum) poder.

eu acho que o poder corrompe. acho que Brasília é uma ilha da fantasia e que estes caras vivem em um mundo que não é real. então esquecem rapidamente todo seu passado (que sobrevive apenas retoricamente) e mal conseguem olhar para aquilo que é a vida real: um imenso abismo de desigualdades, abismo triste, miserável e sem perspectivas.

é impossível imaginar que o PT poderia mudar isso em uma ou em duas gestões de governo. mas a realidade está nos mostrando que, se o PT não pode mudar, ninguém mais pode. se o único partido que se construiu como um verdadeiro partido, e que tinha compromissos com o futuro, hoje adota um comportamento medíocre na política, igual ao que se abomina nos demais, o que nos resta é desalento. isto é o que me dói: não o que o PT ou o Lula fazem, exatamente, e sim o indicativo de que no futuro não existe para onde ir, a não ser se submeter plenamente a uma lógica neoliberal repleta de ganância.

Sean Hagen disse...

*




PULCHRO
com certeza que não, petistas pensam das mais variadas formas.


NANA
olhar o fundo do poço e só ver lama é tão desesperador.



URUBUA
também acho.
enquanto se faz política longe do cerrado parece que há um certo controle - apesar do mensalão do Aécio, em Minas, dizer o contrário -, mas eles chegam lá e mimetizam todos os comportamentos corruptos e sacacanas.



CARMEN
eu vi essa também.
o Lula virou amigão é do poder.



LU
pergunto isso sem parar: e agora, josé?



MARISTELA
votou no lula duas vezes e no fhc duas vezes.
mas acho forçãção de barra comparar qualquer um ao collor.
por mais que eu ache o fhc um engodo emplumadinho, acho que mesmo ele teve uma postura.



ROSA
pensar e escolher tá na base das nossas ações, ninguém foge disso. e isso é política.
então, a questão é essa mesma: e agora?




ARNALDO
nunca cogitei a opção alckmim, impessável pra mim. prefiro ser traído mil vezes pelo lula do que conviver com o tipo de política que o alckmim poderia fazer.



ISADORA
ele tá tão vivo no passado quanto no presente. ele é grande parte do governo lula.



GRAZI
acho que o poder corrompe quem se deixa corromper. um partido que se construi como opção à corrupção não podia continuar assim depois de tudo o que passou. errar é uma coisa, permancer no erro é outra.
como vc disse, é lamentável.



RENATO
ética e moral são bases em falta na em vários pontos da sociedade. eu acredito que é possível fazer algo sem atolar na lama.
não sujar os pés seria quase impossível, mas chafurdar.
dose.



FABI
volte quando puder, sem estresse.


MARCIA
duas gestões poderiam, sim, mudar muita coisa. poderiam traçar o começo de alguns novos rumos.
a podridão do sistema só vai ser contida quando alguém tiver culhão pra fazer algo. e o pt mostrou que não estava disposto a fazer isso.

agora, o que assusta mesmo é não ter pra onde correr.





*