23 novembro 2007

O mundo gira

Conhecer é maravilhoso.
Japaratinga se chama paraíso.
O acaso.
Banho de mar numa praia deserta.
Paraíso é um quarto com vista pra Barra.
Espinhos de pinaúna no pé.
Confiar é surpreendente.
Sorvete de coco fresco.
Ladeiras de Olinda.
Caranguejo.
Percussão tomando o corpo.
Acarajé e punheta na praça.
Cores.
Queijo coalho e carinho.
Água azul cristalina.
Pôr-do-sol no farol.
Abraço forte numa missa em ritmo afro.
Banho de mar à noite.
Gírias.
Um almoço regado a bode.
Perder-se pra se encontrar.
Um papo cabeça.
Carne de sol.
Um olhar cúmplice.
Sol alto às cinco da manhã.
Passinhos inusitados de samba.
Arroz de polvo e lagostim.
Jogar pedras na água.
Empatia.
Lagartixa queimada de sol.
Risadas.
Rabo de tatu.
O tempo não pára.

O erro?
Não se permitir.

27 comentários:

Karina disse...

Que delícia!
Relamente seria o pior dos erros não se permitir.
Espero que tenha aproveitado bastante.
Bom retorno.
Bjos

marcia disse...

hum.

Rosamaria disse...

de tudas essas coisas boas, o que tu não te permitiste, filho?

duvido! foi tudo muito bem aproveitado! que bom!

bjim.

cida disse...

Só conhece quem se permite. E tu sabes fazer isso bem.

Perde-se para se achar?Que constatação legal!
Abç

Cátia disse...

Voltou poético! O que umas férias não fazem...
Lindo texto Sean! Continue pulsando!
bj

Luís Galego disse...

O tempo não pára.

pois não, mas esquecemo-nos disso muito rapidamente. Um abraço!

Maroto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maroto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
maristela disse...

Ah, não: exijo uma conferência de impresa urgente para saber de tudo. Tá pensando o quê? Dá manchete e sai do ar? Ou descreve item por item no blog, ou marca um café e conta tudo.
bj
que bom que voltou!

Ana disse...

Tô com a Maristela!
Kd as fotos?? E o relatório completo??

Se bem que devo admitir... mesmo sendo em tópicos, todos foram muito sugestivos! Deu vontade de "me permitir"!!

Reges.ts disse...

é assim que vale
assim é viver

Graziana disse...

bode?????????
hehehehehehehe
experiências gastronomicas pra lá de exóticas!
deve ter sido ótimo estes dias!!!
bom que voltaste com este belo texto :)
beijos

Anônimo disse...

eita... deu saudade da minha terra!
bj Monica

Ane disse...

Sean... passei para lhe dar olá e fiquei feliz vendo com o "mundo gira". Que bom que vc se permitiu...

Um beijo, Menino.

PULCHRO disse...

Se permita!

.Intense. disse...

é que eu gostei mto dos bichinhos.

posso, né?
me permito.

ederson disse...

oba! vou me permitir hoje!

Eva disse...

Welcome back, Sean! Nos conhecemos só pelos blogs (e aliás, o Calçolas tava sentindo falta dos teus comentários). Mas mesmo assim suspeito que a) estiveste pelo nordeste (ô coisa bem boa) e b) estás enamorado (no mínimo, amandou a vida, ô coisa bem ótima). E uma coisa é certa: a viagem rendeu. Começando pelo belo texto. Abçs.

Eva disse...

Welcome back, Sean! Nos conhecemos só pelos blogs (e aliás, o Calçolas tava sentindo falta dos teus comentários). Mas mesmo assim suspeito que a) estiveste pelo nordeste (ô coisa bem boa) e b) estás enamorado (no mínimo, amandou a vida, ô coisa bem ótima). E uma coisa é certa: a viagem rendeu. Começando pelo belo texto. Abçs.

venuss disse...

ô maravilhaSSSS. Com todos os 'ésses' possíveis.

Rosamaria disse...

Cosquirídia!

eu se que não gostas de prêmios. selinhos, essas coisas, mas eu considero que o teu é um Blog Cabeça.

bjim.

.Intense. disse...

hahaha...


gostei do coments.

e voltei pra comentar (ao menos pra não igualar o número de coments ao do post de baixo =p )

sylvia moretzsohn disse...

Só um reparo: não é Japaritinga, é Japaratinga. Depois de muito trocar as letras, decorei: Já para Tinga, menino!

Ficou mais fácil assim.

Mas, pensando bem, há outros reparos. Ou comentários.

Se eu fosse escrever, lembraria também de outras coisas não tão belas.

O povo dançando funk aos berros naquela praia da suposta Foz do São Francisco, aquela improvável capotagem da caminhonete na areia, motoristas alucinadamente bêbados ao fim da tarde.

A sucessão de paupérrimos acampamentos de sem-terra à beira da estrada dos canaviais.

A indigência das casas de estuque às portas de Maceió.

E o sempre insuportável mas inevitável assédio de guias e vendedores de todo tipo a turistas com cara de gringo (ou "francesa", como alguém diz de mim).

Quando voltei, fiquei com aquela estranha sensação de que deveria ter feito uma reportagem. Mesmo que não desse pra publicar em lugar algum. Uma reportagem sobre o paraíso e... ahá, você pensou que eu ia escrever inferno, mas não, não me rendo a essa antítese fácil. Mesmo porque não é bem verdade: não é inferno, é mais o purgatório, e em alguns casos uma espécie de limbo.

Acho que renderia um bom texto, boas imagens, e daria o que pensar.

Mas vou voltar, pelo menos espero que sim.

E de qualquer modo foi uma bela viagem, lá isso foi.

sylvia moretzsohn disse...

Ah, e esse Hum da Márcia diz tudo...

Thelma disse...

É verdade! Conhecer é maravilhoso! E tu andaste num paraíso. Que bom!
Bjs.

Ferdibrand disse...

Bem-vindo de volta... e obrigado pela reestréia com cheiro de sol.

Abraços!

Mariana Mesquita disse...

Seu mala... Esteve aqui e nem deu um oi? Magoei, humpf.