18 maio 2009

A pretensão

Quer uma dica de um lugar pra não ir em Porto Alegre? Botequim da Letras. Fuja como o diabo da cruz. Está localizado no coração do Moinhos de Vento, na parte mais arborizada da Félix da Cunha, em um conjunto de casas históricas. O lugar não poderia ser mais charmoso, mas a pretensão do espaço não poderia ser mais irritante. E o atendimento, ah, o atendimento. Uma garota moderninha, óculos de aro grosso, roupa desbeiçada, ar existencialista cansado e cabelo emplastado na cabeça – que pessoas com mais de 25 ou asseadas chamariam de sujo – oferece um atendimento supimpa. Pedimos uma Coca com gelo, um cortado e um panini. Passados quase dez minutos, veio a Coca, com duas minúsculas pedras. Sentimos o drama: se economizam no gelo, como será o resto? Pois é, o resto veio. Ou melhor, não veio. Cinco minutos depois, o reforço no pedido: será que é possível trazer o café, pelo menos? Mais dez minutos e ele veio, quase sendo jogado em nossas cabeças. A moçoila do cabelinho cheiroso mostrou não ter prática nem habilidade pra segurar a bandeja com uma xícara transbordando. Teve que ser ajudada. Quase 40 minutos depois do pedido feito, e com apenas duas mesas além da nossa – tomando apenas chopp e café –, levantei, com o tempo e o saco estourados, e pedi a conta, avisando: suspende o panini. Ao que ouvi da cabelinho bom: “Agora tá pronto”. Respondi: Lamento, mas agora eu não tenho mais tempo. E a sebosinha retrucou: “Então deveria ter avisado antes que tinha pressa”, e jogou o troco na minha mão, com a cabeça virada pro lado. O que esperar de uma mulher que não toma banho, não sabe servir a mesa, não consegue prensar um pão de queijo e ainda é grosseira? Pretensão, tanto quanto o lugar, é óbvio. Gente assim me cansa, lugares assim me desagradam. Por isso a honestidade do bom e velho boteco seduz: nada promete além do que pode dar. E honra a tradição do nome que traz estampado na fachada: boteco.

15 maio 2009

Funcionário do mês


Deputado Sérgio Moraes (PTB/RS): nova ortografia para o plural de moral e venda recorde de lixa grossa.